Enfermeiro da Atenção Primária à Saúde, participe da pesquisa

Com o objetivo de compreender as práticas de Enfermagem contextualizando cenários de atuação e perfis dos enfermeiros e enfermeiras do Brasil, instituições se reuniram para a realização da pesquisa ‘Práticas de Enfermagem no contexto da Atenção Primária à Saúde (APS)’. O estudo, voltado somente a enfermeiros que atuam na APS ou Estratégia Saúde da Família, está disponível neste link.

O preenchimento leva apenas 10 minutos, mas, até o momento, menos de 60 enfermeiros do Paraná responderam o questionário. “Somos mais de 108 mil profissionais, mais de 25 mil enfermeiros, grande parte na APS – eu não posso ter apenas 56 respostas à pesquisa vindas do nosso estado! Gostaria que esses enfermeiros que estão na luta hoje se debrucem sobre esta pesquisa com a intenção de que os resultados façam com que a próxima geração da nossa profissão sofra menos do que nós estamos sofrendo”, apela a presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Coren/PR), Enfermeira Simone Peruzzo.

Para tentar ampliar a participação da enfermagem paranaense, o Conselho convidou a Enfermeira Ester do Nascimento Ribas para explicar o projeto em uma live transmitida na quarta-feira, dia 6, disponível clicando aqui. A enfermeira é a representante do Paraná, enviada pelo Coren/PR, na pesquisa.

“Este é um tema muito importante para nós, profissionais da enfermagem, que desenvolvemos um trabalho árduo na APS. Estamos envolvidos com demandas assistenciais e gerenciais; dirigimos, orientamos, assistimos, ensinamos, cuidados da esterilização de materiais, estamos preocupados com o paciente crônico que não foi à consulta... um trabalho que constitui o alicerce da Atenção Básica, mas que, muitas vezes, se torna invisível para a sociedade em geral. Precisamos dar mais visibilidade a tudo que realizamos!”, desabafa Ester.

PRÁTICA AVANÇADA – “Ao final, nosso grande objetivo é conseguir sensibilizar nossos colegas, nossos gestores e o Ministério da Saúde para a implantação da Enfermagem de Práticas Avançadas aqui no Brasil”, explica a Enfermeira Beatriz Toso, representante das universidades do Paraná na pesquisa. De acordo com ela, na região da América Latina e Caribe, nenhum país adota o modelo, que já faz parte da Enfermagem em diversos países da Europa e América do Norte, por exemplo.

Na chamada Advanced Practical Nurse (Enfermeiro de Prática Avançada), o enfermeiro assume funções de diagnosticar determinados problemas de saúde e tratá-los com base em protocolos para o primeiro cuidado. “A formação, a regulamentação, o reconhecimento da prática e a criação dos protocolos demanda a discussão de um conjunto de ações para que a função seja aprovada e implantada em nosso país”, complementa Beatriz.

“Se nós estamos, uma vida inteira, defendendo a mudança do modelo de saúde, como não participar de uma pesquisa que sinaliza a possibilidade de um avanço não só na prática, mas no protagonismo do enfermeiro? São apenas 10 minutos para dar mais visibilidade ao trabalho do enfermeiro na Atenção Primária, o que são 10 minutos? Participem da pesquisa! Divulguem! Contribuam!”, finaliza refletindo a presidente Simone.

PARCERIA – O desenvolvimento do trabalho é uma parceria do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Universidade de Brasília (UnB), Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Associação Brasileira de Enfermagem de Família e Comunidade (Abefaco) e Organização Pan-Americana de Saúde (Opas/OMS).

 

Postado em Notícias

Imprimir Email

Copyright © 2019 Coren/PR. Todos os direitos reservados.
Customizado por DTI/ASCOM do Coren/PR.