Agosto Dourado incentiva o aleitamento materno em todo o mundo

O aleitamento materno exclusivo e em livre demanda deve ser mantido e estimulado mesmo durante a pandemia de Covid-19. A orientação é da Secretaria de Estado da Saúde no lançamento do “Agosto Dourado”, mês de incentivo ao aleitamento materno em todo mundo. Até o momento não existem evidências científicas que comprovem a presença do coronavírus no leite materno de mulheres que contraíram a infecção.

“As mães devem estar atentas aos cuidados relacionados à possibilidade de contágio dos bebês por meio das secreções”, destaca a Nota Orientativa da Sesa (no.09/2020), publicada no início da pandemia, com indicações sobre a linha de cuidado materno infantil durante o período de emergência. “Deverão ser mantidas as práticas de higienização das mãos antes e após tocar no bebê, uso máscara facial e, no caso de extração do leite, de limpeza rigorosa do equipamento”, ressalta o documento.

“A pandemia muda o formato de nossas ações, mas não o foco do trabalho que é o de promover a saúde materno-infantil. A Sesa mantém as atividades de assistência às gestantes, puérperas e mães em período de amamentação, com serviços feitos em ambiente seguro, de acordo com os protocolos estabelecidos”, afirma o secretário da saúde do Paraná, Beto Preto.

“No caso de a mãe não se sentir à vontade para amamentar, devido à suspeita da doença, poderá extrair o leite manualmente ou com o uso de bomba de extração láctea e outra pessoa saudável e sem sintomas poderá ofertar o leite ao bebê em um copinho ou colher, tudo devidamente higienizado”,  informa a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Enfermeira Maria Goretti David Lopes.

 “Os benefícios da amamentação tanto para as crianças como para as mulheres, superam os riscos potenciais de transmissão da doença. O leite materno tem inúmeros fatores imunológicos que protegem a criança contra infecções. Porém, as mães devem estar atentas aos sintomas da Covid-19 e, no caso de algum indicativo, deve buscar um médico”, disse a diretora.

Leite Materno – O leite materno é um alimento completo; é a melhor fonte de nutrição infantil, sendo capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos.

Protege a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. Além disso, reduz o risco de a criança desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes, sobrepeso e obesidade na vida adulta.  O Ministério da Saúde recomenda que as crianças sejam amamentadas até os dois anos ou mais e, de forma exclusiva, até o sexto mês de vida. 

 “O leite humano é superior a qualquer tipo de fórmula. Para cada litro de leite oferecido para as crianças prematuras é possível diminuir dois dias de permanência na UTI neo-natal e a alta hospitalar é mais precoce, pois as crianças ganham peso mais rápido e ficam mais resistentes”, afirma a chefe da Divisão de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente da Sesa, Jéssica Dinardi.

“A amamentação também é importante para a saúde da mulher”, completa Jéssica, “ajudando a reduzir o risco de câncer de mama e de ovários”.

Fonte: Sesa/PR

Postado em Notícias

Imprimir Email

Copyright © 2019 Coren/PR. Todos os direitos reservados.
Customizado por DTI/ASCOM do Coren/PR.