Coren/PR e CRM fazem fiscalização conjunta em Curitiba

As equipes de fiscalização do Conselho de Enfermagem e do Conselho de Medicina do Paraná iniciaram nesta segunda-feira, dia 23 de março, uma série de visitas de fiscalização conjuntas para verificar a oferta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) aos profissionais que estão na assistência aos pacientes suspeitos de infecção pelo COVID-19.

As duas profissões estão na linha de frente de enfrentamento da pandemia e os dois conselhos têm recebido denúncias de falta de equipamentos adequados para esse enfrentamento.

A parceria, estabelecida em reunião por videoconferência realizada na sexta-feira, dia 20/03, tem o objetivo de conhecer a estrutura dos serviços de saúde para o enfrentamento da epidemia, conversar com os profissionais de enfermagem e medicina e orientar para o uso racional dos EPIs.

“Os primeiros serviços visitados foram as UPAs Boqueirão e Sítio Cercado, onde verificamos que estão sendo disponibilizados os EPIs de forma racional, ou seja, para aqueles que estão em atendimento a síndromes respiratórias, como determinam os protocolos das autoridades da saúde. Sabemos que não podemos exigir máscaras e óculos para todos os profissionais, porque no decorrer da epidemia podemos ter desabastecimento. Temos que assumir a responsabilidade imposta pela profissão junto aos nossos pares, bem como sensibilizar a sociedade frente ao momento excepcional que vivemos”, disse a presidente do Coren/PR, Enfermeira Simone Peruzzo. A presidente estava acompanhada da coordenadora do departamento de fiscalização do Coren/PR, Deliziê Martins.

O conselheiro e coordenador de fiscalização do CRM, Carlos Naufel, acompanhou a visita com o médico fiscal Jun Hirabayashi. Além de registrar as informações dos coordenadores das Unidades de Pronto-Atendimento, eles puderam conversar com os médicos em plantão nas unidades.

Durante à visita à UPA Sítio Cercado, os profissionais das duas entidades puderam conhecer os equipamentos de paramentação para coleta e intubação de pacientes suspeitos, composta por capacete de proteção, máscara N-95 e avental, que consideraram adequado para a situação.

A Enfermeira Sidneia Pimentel Felício, autoridade sanitária da UPA Sítio Cercado, relatou a rotina da unidade quanto à entrega de equipamentos de proteção aos profissionais. “Pedimos consciência e responsabilidade no uso de EPIs, com controle de entrega de acordo com a necessidade, sem comprometer o estoque para os próximos meses”, ela relatou.

As fiscalizações continuam nos próximos dias de forma a conhecer a realidade dos principais serviços que estão na retaguarda aos casos suspeitos da COVI-19.

“Queremos que os profissionais demandem ao conselho de classe, relatem as situações vividas e peçam nossa orientação quanto às dificuldades enfrentadas. Continuem usando nossos canais de comunicação para subsidiar as fiscalizações”, reforçou a presidente do Coren/PR.

As dúvidas dos profissionais podem ser enviadas pelos e-mails Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pela Ouvidoria http://corenpr.gov.br/portal/ouvidoria

 

 

 

Postado em Notícias

Imprimir Email

Copyright © 2019 Coren/PR. Todos os direitos reservados.
Customizado por DTI/ASCOM do Coren/PR.